arrow_drop_down
Filhos maduros para as Famílias

Filhos maduros para as Famílias

*Parte integrante do livro “Eu sou José | maturidade espiritual para homens de influência”

Baixar o livro

 

José instalou seu pai e seus irmãos e deu-lhes propriedade na melhor parte das terras do Egito, na região de Ramessés, conforme a ordem do faraó. Providenciou também sustento para seu pai, para seus irmãos e para toda a sua família, de acordo com o número de filhos de cada um. Gênesis 47:11,12

 

José foi Governador sobre todo o Egito, foi um profeta, administrador, teve grande influência, mas sem dúvida o maior chamado de José teve relação com a sua família, e através dela, sua vida teve impacto através das gerações, chegando até nós, nos dias de hoje.

 

Sua referência como filho, sua disposição em perdoar seus irmãos e a consequente reunião de toda a família, os doze filhos de Jacó que viriam a se tornar as doze tribos, seu dúvida foi o maior legado da vida de José.

 

A principal responsabilidade de qualquer pessoa é a sua própria família, esse é nosso maior chamado e também nosso alicerce. É onde temos nosso caráter formado, recebemos a educação, e principalmente temos na terra um exemplo de paternidade com o objetivo de refletir nossa verdadeira paternidade que é nosso Pai celeste, construindo nossa identidade como indivíduos.

 

A falta de paternidade tem a capacidade de destruir nossa autoestima e permitir um espirito de rejeição. Toda tentativa do inimigo de destruir as famílias tem como objetivo destruir a construção da identidade dos indivíduos desde sua infância.

 

Devemos sempre lembrar que a família é um projeto de Deus, criado e idealizado por ele para o homem.

 

E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. Gênesis 2:18 e 24

 

A instituição da família tem sido atacada de todas as formas. Através da mídia somos ensinados sobre novas formas de relação entre pais e filhos, e conceitos antigos e errados são mostrados como modernos e atuais, e toda forma de defesa da família é tida como retrógada, antiga e preconceituosa.

 

Na esfera da política temos enfrentado tentativas de criação de leis que vão contra o que a palavra nos ensina em relação ao conceito familiar, e que permitiriam a educação de nossas crianças dentro de conceitos que vão contra o que a palavra nos ensina.

 

“Naquela época não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia certo.” Juízes 21:25

 

Todos temos o chamado e devemos nos levantar para lutar pelas nossas famílias, proteger nossos filhos, e não permitir que o pecado, e mentira, e a rejeição destruam aquilo que Deus criou para ser algo tão belo, tão puro e tão feliz.

 

A pressão por resultados tem feito homens e mulheres negligenciar suas famílias em troca de produtividade e sucesso em suas carreiras.

 

Tenho convicção que essa será a primeira coisa pela qual seremos cobrados quando estivermos diante de Deus naquele dia, sobre a nossa responsabilidade primeiramente como maridos e esposas, em seguida como filhos e filhas, e em seguida como pais e mães.

 

Mesmo aqueles que têm dado importância para as famílias, muitas vezes tem priorizado o cuidado com os filhos enquanto casamentos estão ruindo.

 

Nenhuma vocação ou ministério pode ser colocado antes do nosso principal e maior chamado, de cuidarmos da nossa própria casa.