arrow_drop_down
Filhos maduros no Governo

Filhos maduros no Governo

*Parte integrante do livro “Eu sou José | maturidade espiritual para homens de influência”

 Baixar o livro


Em meio à guerra pelo poder, filhos maduros serão aqueles que contarão com o favor de Deus para serem posicionados nas mais diferentes posições e níveis de influência da nossa sociedade, sem precisarem comprometer seus valores em uma tentativa de escalar a montanha pela própria força.

 

Saberão esperar e passar pelos processos, com integridade e paciência, não importa quanto tempo demore. Serão obedientes à direção de Deus, e não ao “senso comum”.

 

Estarão comprometidos com leis justas, não negociarão seus valores, serão influenciadores, e não serão influenciados. Serão abençoadores e muitas vezes intercessores do povo e do governo, resgatarão vidas.

 

Lembre-se sempre que nossa luta é contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Em cada uma dessas áreas de influência teremos lutas, mas essa luta não é contra as pessoas que governam essas áreas, e sim contra principados e potestades que influenciam esses segmentos.

 

Muito diferente do que ateus militantes têm defendido, dando a entender que o Estado Laico deve ser ateu, o Estado Laico apenas não possui uma religião oficial, e não deve usar o poder do Estado para interferir na profissão de fé da sociedade.

 

O conceito de “Estado Laico” que assegura o direito constitucional à liberdade religiosa individual, e garante a defesa contra o estabelecimento de igrejas estatais ou influência de qualquer religião em assuntos de Estado é facilmente confundido com o “Ateísmo”.

 

O Estado Laico não é Ateu, e não significa que não devemos acreditar e depender de Deus nas nossas decisões de Governo. Assim como José e Daniel, filhos maduros terão sabedoria e ousadia ao professar publicamente sua fé, e seu relacionamento com Deus será decisivo nas decisões de governo. Não se trata de influência de Igreja no Governo, trata-se de aceitamos ou não Deus no Governo da nossa cidade, estado ou nação.

 

Assim como José no Egito e Daniel na Babilônia, filhos maduros será a resposta de Deus para nossa geração. Carregarão as soluções para os problemas da nossa época. Serão revestidos da integridade e sabedoria para impactar o governo, e muitos atuarão como conselheiros daqueles que estão no governo.

 

Assim como a babilônia tentou mudar o nome, a língua e a cultura dos jovens príncipes de Israel, os embaixadores do Reino serão aqueles que não se venderão, e não se contaminarão com a cultura vigente, mas terão a sabedoria para fluir nos dons sobrenaturais de maneira prática, posicionados como embaixadores do Reino e administradores do Reino.